ENTREtantoTEATRO
Estrutura subsidiada:
     
 
Historial
   2005
PORT@ABERTA
Autor: Fernando Moreira
Encenador: Hugo Sousa
 
Informações
John Haig na primeira metade do século XX, horrorizou Londres com os seus crimes vampirescos. Dias antes de lhe ser colocada a corda ao pescoço, John Haig deixa na sua cela, escrita pelo seu punho, a verídica confissão dos seus crimes. Esta acabará por chegar à comunicação social e o mundo fica a conhecer o que pensa, como age e o que sente: o Vampiro de Londres.
A confissão (verídica do vampiro de Londres escrita na cela da morte) é o ponto de partida para um enredo que cresce com o aparecimento de uma (não menos obscura) figura feminina. Temos por um lado um assassino em série dividido entre o orgulho e o falso arrependimento, e por outro, uma mulher com um passado perturbado, que embeleza com mentiras. Envolvidos numa atmosfera sombria, as duas personagens vivem uma relação nivelada pelo logro e por uma fingida serenidade.
Um universo desajustado, paranóico, onde uma crescente e recíproca manipulação, insiste em não desvendar a história até ao ultimo nível do jogo.
 
Técnica
Participações Especiais
Etelvina Baltazar, Gisela Baltazar, Guilherme Carvalho, Jorge Vitória, Laura Ferreira, Paulino Laranjeira, Sandra Vieira, Susana Vieira e Valdemar Baltazar

Direcção de Produção, Assistência de Produção:
Guida Rolo
Tiago Costa

Design Gráfico
cASE sENSITIVE dESIGN

Registo Vídeo e Fotográfico
House of Photography

Figurinos, Apoio ao Movimento
José Rosa
Índio Queiroz

Operação de Vídeo
Tiago Costa

Banda Sonora Original
Equipa B / Projecto É Grave

Operação de Luz e Som:
Tiago Catarino

Interpretação
Júnior Sampaio e Sandra Santos


Produção
ENTREtanto TEATRO